Ser enfermeiro

Ser enfermeiro

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

CLÍNICA CIRÚRGICA



Pré-operatório 
Preparo 
O preparo pré-operatório tem inicio com a internação estendendo-se até o momento da cirurgia.

Objetivo
Levar o paciente as melhores condições possíveis para cirurgia, para garantir-lhe menores possibilidades de complicações. Cada paciente deve ser tratado e encarado individualmente. Dependendo da cirurgia a ser realizada, o preparo pré-operatório poderá ser feito em alguns dias ou ate mesmo em minutos. As cirurgias que exigem um rápido preparo são as cirurgias de emergência estas devem ser realizadas sem perda de tempo a fim de salvar a vida do paciente.

Preparo psicológico
Tem como objetivo assegurar confiança e tranqüilidade mental ao paciente. A internação para o paciente pode significar reclusão, afastamento dos familiares e o paciente podem ficar ansioso e cheio de temores. O trabalho, a vida diária do paciente são momentaneamente paralisados e o desconhecimento do tratamento a que será submetido, tudo isso gera stress, insegurança, desassossego e medo.
Estes estados psicológicos quando não reconhecidos e atendidos  pode levar o paciente a apresentar vômitos, náuseas, dor de cabeça, não cooperando para a recuperação pós-cirurgicas, levando-o a complicação respiratórias, agitação e outros problemas.
Para auxiliar o paciente a enfermagem deve ser calma, otimista, compreensiva, e saiba como desenvolver confiança. Inteirados da aflição do paciente a enfermeira chefe deve ser notificada para que tome a melhor medida. Dependendo da necessidade, a enfermeira solicitara a presença do cirurgião ou anestesista para esclarecer o paciente. Portanto a enfermagem, embora solicitando outros profissionais para atender o paciente em suas necessidades psicológicas, é principalmente a pessoa que ouve, compreende, ampara e conforta.

Preparo físico:
É dividido em três etapas:
1 - inicial
2 - na véspera da cirurgia
3 - no dia da cirurgia
1. Preparo inicial é quando o paciente vai ser submetido a exames laboratoriais (exames pré-operatórios), que vão assegurar a viabilidade ou não da cirurgia.
Nesta fase, a atuação da enfermagem no preparo se relaciona:
-  Ao preparo do paciente, explicando os procedimentos a serem realizados.
-
  A coleta e encaminhamento dos materiais para exames.
-
  A manutenção do jejum quando necessário.
-
  A aplicação de medicamentos, soro e sangue.
-
  A realização de controles.
-
  Sinais vitais.
-
  Diurese.
-
  Observação de sinais e sintomas.
-
  Anotação na papeleta.

2. Preparo físico na véspera da cirurgia tem por objetivo remover toda a fonte de infecção, através da limpeza e desinfecção conseguida com um mínimo de esgotamento do paciente.
Essa segunda etapa se processa assim:
-  Verificar lista de cirurgia quais os pacientes que serão operados, nome da cirurgia, horário, se há pedido de sangue, preparos especiais ou de rotina.
-
  Providenciar material e colher a amostra de sangue para tipagem sanguínea.
-
  Observar sintomas como tosse, coriza, febre, variação de p.a e outros.
Proceder à limpeza e preparar a pele para cirurgia da seguinte forma:
-  Tricotomia da região a ser operada, bem ampla.
-
  Banho completo, incluindo cabeça e troca de roupa.
-
  Limpeza e corte das unhas, remover esmaltes (pés e mãos) para poder observar a coloração durante a cirurgia.
-
  Mandar barbear os homens.
-
  Dieta leve no jantar.
-
  Lavagem intestinal ou gástrica, de acordo com a prescrição medica.
-
  Jejum após o jantar, orientar o paciente.
-
  Promover ambiente tranqüilo e repousante.
 
3. Preparo físico no dia da cirurgia.
-  Verifica se o jejum continua sendo mantido.
-
  Verificar se todos os cuidados da véspera foram feitos.
-
  Remover maquiagem, próteses e jóias.As jóias e próteses serão enroladas e guardadas conforme rotina do local.
-
  Controlar pulso, temperatura, respiração e P.A.
-
  Urinar meia hora antes da cirurgia.
-
  Aplicar a medicação pré-anestésica seguindo prescrição medica e geralmente é feito de 30 á 45 minutos da cirurgia.
-
  Checar a medicação pré-anestésica dada.Ela acalma o paciente.
-
  Fazer anotação na papeleta.
-
  Ajudar o paciente a passar da cama a maca.
-
  Levar a maca com o paciente até o centro cirúrgico, juntamente com o prontuário.
-
  Qualquer cuidado não efetuado deve ser comunicado ao centro cirúrgico.

Preparo da unidade do paciente e atendimento pós-operatório
Introdução
os cuidados de enfermagem no pós-operatório são aqueles realizados após a cirurgia ate a alta. Visam ajudar o recém operado a normalizar suas funções com conforto e da forma mais rápida e segura. Incluímos nesses cuidados o preparo da unidade para receber o paciente internado.
Observação: nos hospitais que possuem no centro cirúrgica sala de recuperação, pós-anestésica, recebem os pacientes nestes locais imediatamente após a cirurgia dando-lhes assistência até a normalização de reflexos e sinais vitais. Só posteriormente esse paciente é encaminhado a unidade onde estão internados. Cuidados no preparo da unidade visa equipa-la para o recebimento do paciente operado, a fim de proporcionar-lhe conforto, segurança e rápido atendimento. Esse preparo é feito após o encaminhamento do paciente para a s.o.

Cuidados
-  Promoção da limpeza e ordem de todo o ambiente.
-
  Arrumação da cama “tipo operado”.
-
  Limpeza e arrumação da mesa de cabeceira.
-
  Trazer suporte de soro e coloca-lo ao lado da cama.
-
  Deixar oxigênio com equipamento completo.
 
Atendimento de enfermagem no pós-operatório
Ao receber o paciente no quarto.
-  Transporta-lo da maca para a cama com o auxilio de outros funcionários.
-
  Manter a cama em posição horizontal.
-
  Cobri-lo e agasalha-lo de acordo com a necessidade.
-
  Verificar na papeleta as anotações do centro cirúrgico.Se foi feita a anestesia raque deixar o paciente sem travesseiro e sem levantar pelo o menos 12 horas.
-
  Enquanto estiver semiconsciente, mantê-lo sem travesseiro com a cabeça voltada para o lado.
-
  Observar o gotejamento do soro e sangue.
-
  Observar estado geral e nível de consciência.
-
  Verificar o curativo colocado no local operado, se esta seco ou com sangue.
-
  Restringi-lo no leito com grades para evitar que caia.
-
  Se estiver confuso, restringir os membros superiores para evitar que retire soro ou sondas.
-
  Observar sintomas como:palidez, sudorese, pele fria, lábios e unhas arroxeados, hemorragia, dificuldade respiratória e outros, porque podem ocorrer complicações respiratórias e circulatórias.
-
  Controlar, pulso, temperatura, respiração e pressão arterial.
-
  Fazer anotação na papeleta.
-
  Ler a prescrição medica, providenciando para que seja feita.
-
  Qualquer sintoma alarmante deve ser comunicado imediatamente.
Nas horas em seguida:
-  Ao recuperar totalmente a consciência avisa-lo do lugar onde esta e que esta passando bem.
-
  Periodicamente, controlar sinais vitais e funcionamento de soro e sondas.
-
  Promover comodidade no leito.
-
  Medica-lo para dor, quando necessário.
-
  Movimenta-lo no leito, de decúbito.
-
  Verificar e estimular a aceitação da dieta.  

Preparação da pele e a região a ser operada

Conceito
O preparo da pele a ser operada, consiste em tratar a pele empregando meios químicos e mecânicos, os quais a manterão limpa, sem pelos livres de micróbios.

Finalidade
Evitar infecção e promover uma boa cicatrização da ferida operatória.

Meios utilizados
Desinfecção por agentes químicos (povidini) e tricotomia (raspagem de pelos).

Desinfecção com agentes químicos
São utilizados sabões especiais e anti-sépticos da pele.A limpeza da pele com esses produtos é feita durante o dia que precede a cirurgia ou no mesmo dia, dependendo da rotina do hospital.
O emprego desta técnica visa remover ou destruir os germes existentes na pele.

Tricotomia
É a raspagem dos pelos na pele.
É feita com a finalidade de facilita a limpeza e a desinfecção da pele e da região a ser operada.
No caso de cirurgias programadas a tricotomia é feita no dia ou na véspera da cirurgia.No caso de cirurgia de emergência é feita na hora, antes de encaminhar o paciente ao centro cirúrgico.

Áreas de tricotomia
-  Cirurgia de crânio: todo o couro cabeludo ou conforme prescrição medica.
-
  Cirurgias torácicas: região torácica até umbigo e axilas.
-
  Cirurgia cardíaca: toda extensão corporal (face anterior e posterior), menos o couro cabeludo.
-
  Cirurgia abdominal: desde a região mamaria até o púbis.
-
  Cirurgia dos rins: região abdominal anterior e posterior.
-
  Cirurgia de membros inferiores: todo o membro inferior e púbis.

Procedimento da tricotomia:
Material: bandeja contendo:
-  Recipientes com bolas de algodão.
-
  pacote com gases.
-
  Cuba redonda com sabão liquido diluído.
-
  Cuba rim.
-
  Aparelho de barbear com lamina nova.
-
  Pinça.
Execução:
-  Cerque a cama com biombos.
-
  Exponha a região.
-
  Umedeça a bola de algodão com sabão.
-
  Ensaboar a região.
-
  Com a mão esquerda estique a pele.
-
  Faça a raspagem dos pelos de cima para baixo.
-
  Lave a área com água e sabão para remover os pelos cortados.
-
  Retire o material usado.

Complicação pós-operatórias
Dor: é um dos primeiros sintomas a surgir no pós-operatório.O auxiliar neste caso deve administrar o medicamento analgésico comunicar o fato a enfermeira, fazer anotação sobre a dor e sobre as providencias tomadas.
Vômitos: pode haver nas primeiras 24 horas o auxiliar deve colocar o paciente com a cabeça voltada para o lado e avisar a enfermeira, administrando o medicamento se houver prescrição.Fazer anotação.
para evitar o ressecamento da boca, deve-se umedece-la com água e lubrificar os lábios com vaselina.

Complicações pulmonares:
As mais comuns são: pneumonia e embolia pulmonar. Para prevenir o aparecimento dessas complicações o auxiliar deve:
-  Movimentar o paciente no leito.
-
  Força-lo a tossir.
-
  Ensina-lo a realizar exercícios respiratórios.
-
  Estimular deambulação.

Complicação urinarias:
Podem ocorrer:
-  Infecções urinarias.
-
  Retenção urinaria.
-
  Anuria.
No ato de retenção urinaria, deve-se estimular a micção pelos seguintes meios:
-  Compressa de éter sobre a bexiga.
-
  Abrir a torneira mais próxima.
-
  Sondagem vesical de alivio em ultimo caso.

Complicações gastro intestinais
Pode ocorrer obstrução intestinal, por isso o numero e aspecto da evacuação deve ser sempre anotada.

Complicações da ferida operatória
As mais freqüentes são:
-  Hematoma ocorre por haver uma hemorragia oculta na ferida.Quando é grande, pode interferir no processo de cicatrização.
-
  Infecção ocorre devido a diversos fatores, inclusive devido a curativo mal feito.

Rotura ou deiscência
É uma abertura que ocorre na ferida operatória, que ocorre devido à infecção ou grande distensão abdominal.

Retirada de pontos
A cicatrização é um processo que ocorre de dentro para fora.
Pode ocorrer sem nenhum problema (primeira intenção), apresentar dificuldade para cicatrização imediata (segunda intenção) ou ainda necessitar de uma nova sutura (terceira intenção).
A retirada de pontos é feita geralmente no sétimo dia após a cirurgia ou nos dias posteriores.

Material necessário:
-  Pinça anatômica
-
  Tesoura
-
  Bisturi ou gilete
-
  Gases
-
  Anti-sépticos
-
  Esparadrapo

Procedimento
-  Observar as condições da ferida
-
  Retirar pontos alternados e se não houver problemas retirar o restante
-
  Anotar na papeleta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou? então dê sua opinião!!